Uma Florianópolis que poucos conhecem

Existe uma Florianópolis turística que é pouco conhecida até mesmo por quem é nativo daqui, imagina então de quem passa por aqui alguns dias por ano.

Por mais que a maioria das pessoas nos veja apenas como uma cidade repleta de praias e de um povo acolhedor, Florianópolis também conta com inúmeros patrimônios históricos. Alguns são muito bem conservados, outros não, mas alguns podem ser visitados gratuitamente, e muitas vezes passamos em frente e não notamos.

Vamos conhecer 09 pontos da nossa capital, com potencial para virar parada obrigatória em seu roteiro. Alguns destes pontos, apesar de considerados patrimônio histórico municipal, estadual e alguns até mesmo federal, não contam com guias nem placas explicativas para turistas.

1-Totem do Franklin Cascaes

Quase ninguém sabem onde fica, ou até que existe um monumento em memória do folclorista que mais escreveu e desenhou as lendas na Ilha. Cascaes nasceu e cresceu em Coqueiros, e a família dele tinha uma fazenda naquele local. Ele é folclorista de grande importância para a cultura local. O boitatá  que está no totem,  instalado próximo ao trevo de Itaguaçu, é uma das personagens que  figura em suas histórias fantásticas.

2 – Mural com o hino

No prédio da Caixa, no Centro de Florianópolis, se encontra um mural feito por Rodrigo de Haro, um dos maiores artistas da Capital, com o hino completo de Florianópolis, conhecido como: “Rancho de Amor a Ilha”.

3 – Capela Ecumênica de Santa Catarina de Alexandria

No local encontra-se uma relíquia de Santa Catarina: a costela da padroeira do Estado e também uma pedra do local onde Moisés recebeu os Dez Mandamentos. Se você estiver com sorte e encontrar o pároco, você fica sabendo sobre como o osso foi trazido para a Capital, nos anos 2000, diretamente do Monte Sinai. É possível fazer casamentos e batizados gratuitos na capela, que fica localizada na rua Álvaro Millen da Silveira, em frente ao TJSC, Centro, Florianópolis.

4 – Armazém da renda

A loja localizada no box 78, ala Norte do Mercado Público, é administrada pela Secretaria Municipal de Cultura e funciona como Centro de Referência em Renda de Bilro, e presta apoio as rendeiras da Ilha. No local há diversos trabalhos feitos à mão e sempre tem rendeiras ao vivo trabalhando e mostrando a tradição aos turistas. Elas ensinam o bordado e ainda cantam a música “Ratoeira”, que faz parte do ritual.

5 – Petit pavé do Hassis

Todo mundo vai para a Praça 15 para olhar a figueira, mas se quer notam que no chão temos uma obra gigante do Hassis, que é o artista das grandes obras da cidade. O artista criou nas calçadas da praça desenhos bem típicos açorianos, como as rendeiras, os pescadores, as redes e boi de mamão. Outras obras de Hassis podem ser vistas, por exemplo, no aeroporto Hercílio Luz e no museu que leva seu nome, em Itaguaçu.

6 – Museu do lixo

Instalado pela Comcap em 25 de setembro de 2003, virou referência entre as atividades de educação ambiental no Estado de Santa Catarina, pela forma lúdica e informal com que reforça conteúdos sobre consumo sustentável baseado nos quatro érres (4Rs) – Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar. No local, há uma casa inteira montada, com ambientes divididos, biblioteca e até um piano. Rod. Admar Gonzaga, 130, Itacorubi.

7 – Rota do berbigão

Dá para visitar a criação de berbigão na Costeira do Pirajubaé, pegando um barco que segue até um banco de areia no meio do mar. Existe um projeto do municipal voltado ao meio ambiente, nessa que é primeira reserva extrativista do Sul do Brasil. Quem faz o passeio é a agência Eco Experiência : (48) 99138-0951 / 98827-7152 o valor do passeio esta entre 100 à 150 reais com translado.

8 – Casa da Memória

É lá que se encontra o Arquivo Histórico Municipal de Florianópolis, um lugar que pouquíssimas pessoas sabem que existe. Não é um museu interativo, mas temos de onde tirar informação. É possível encontrar algo sobre a Novembrada, tem fotos digitalizadas, arquivos, bibliografia. É um programa para um dia chuvoso e para quem gosta de pesquisar. Andar pela parte Leste do Centro também é interessante, pois tem diversos sebos com prateleiras sobre Santa Catarina, o que orienta a andar na cidade. Levar um livro de uma cidade te dá uma memória afetiva legal sobre aquele local. A casa funciona das 13h às 18h. Praça 15, 180, ao lado da Catedral, Centro.

9 – Fortaleza Sant’anna

Localizada embaixo da ponte Hercílio Luz, ela foi edificada entre os anos de 1761 e 1765, durante o governo do coronel Francisco A.C. de Menezes e Souza. Seu objetivo era proteger a baía Sul e impedir a entrada de embarcações não autorizadas em Nossa Senhora do Desterro (Nome original de Florianópolis). Possuía 10 canhões, quartel da tropa, casa de pólvora, quartel do comandante e cozinha. É interessante porque é de fácil acesso – dá para chegar a pé. A entrada é gratuita e tem réplicas antigas das outras fortalezas da cidade no local. Ainda podemos visitar o museu da Policia militar ( Fort Major Lara Ribas), localizado ao lado.

Uma resposta para “Uma Florianópolis que poucos conhecem”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *